segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

MACGYVER, IDOLO INESQUECÍVEL



Profissão: Perigo

Tem um fósforo? E... um clip de papel? Se não tiver nenhum dos dois, serve um chiclete, ou uma barra de chocolate.

Macgyver é o cara. Antigo agente das Forças Especiais do governo americano, O investigador passou a trabalhar para a Fundação Fênix, dedicada a combater o “caras maus” ao redor do mundo. Até aí, nada de diferente, certo? A trama podia ser de um episódio das panteras ou de uma brincadeira com o boneco Falcon. Ahá! Mas é aí que vem a grande sacada: o MacGyver conseguia combater o mal e mais um pouco sem usar... uma arma sequer!


Com alguns apetrechos inocentes no fundo do bolso (como aqueles que você se esquece de tirar antes de mandar para a lavanderia) e bons conhecimentos de química e física, ele conseguia fabricar quase qualquer coisa. Com um clip, pronto! Ele fechava o circuito de um míssil nuclear. Vazamento de ácido? Ahá: é só usar uma barra de chocolate.


Profissão Perigo (ou MacGyver, o título original) começou a ser transmitida nos Estados Unidos em 1985, e durou até 1992. Foi uma das séries de maior sucesso dos anos 80. O personagem de Richard Dean Anderson era admirado pelos meninos, arrancava suspiros das mocinhas e de quebra virou um modelo de comportamento, elogiado por críticos, pais e professores.




O amigo e diretor de operações da Fundação Fênix Pete Thornton era o cara que mandava o herói para as missões.
Como todos os bons heróis, havia a parcela de mistério: qual era o primeiro nome do MacGyver? (se não quiser que contemos o final, largue esse texto!) Os telespectadores só ficam sabendo na última temporada. Em um sonho, MacGyver volta à idade média e se encontra com seus ancestrais. Escrito numa bandeira sobre a parede de um castelo, estava seu nome:... “Angus!” “Oh” - diz uma donzela – “é um lindo nome”. E ele responde, não muito feliz: “Talvez no seu tempo. Porque de onde eu venho...”


Pronto, você já sabe o nome dele. Agora faça uma busca no Google, por “profissão perigo”. Você encontrará aproximadamente 1850 resultados, em 0,32 segundos (com este texto,1851). Mas repare bem: a maioria deles não tem nada a ver com a série dos anos 80. Mas a versão brasileira do nome deu origem a uma expressão que acabou se tornando um clichê, uma frasezinha de efeito que fica legal em qualquer título. “Profissão perigo: jornalismo”, “Medicina: profissão perigo” e o pior deles: “Professor profissão perigo”. Isso sem falar nas “Macgyverismos” (veja o texto abaixo): todo menino nerd deve ter um dia sonhado em ser o MacGyver.




Macgyverismos


O episódio de estréia da série, Missão Inicial, estreou no Brasil somente em 1986, no lugar de Viva O Gordo, no período de férias do Jô Soares. Abaixo, os "truques" usados por MacGyver no episódio:


1. Desarma míssil com auxílio de um clipe;
2. Com um rifle, fósforos, elástico e galho de árvore, cria tiroteio "por controle remoto" para distrair o inimigo;
3. Amassa cano de uma pistola de sinalização para transformá-la em foguete de empuxo;
4. Torna raios laser visíveis com fumaça de cigarro;
5. Redireciona laser com lente de binóculo até raio atingir a própria fonte;
6. Ergue viga, dando nó em uma mangueira contra incêndios;
7. Detém vazamento de ácido fazendo-o reagir com dissacarídeos de chocolate (lactose e sacarose) para formar carbono elementar e resíduo grosso viscoso;
8. Cápsulas de remédio e sódio metálico são transformadas em pequena bomba.


Pois é, MacGyver é o cara.

Fontes:
www.rdanderson.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário